O seguro deve ser válido em todo o território dos Estados-Membros e cobrir a totalidade da duração prevista de estada ou trânsito do interessado no âmbito da validade do visto, isto é, o seguro deve apenas abranger o período de estada efetiva e não a validade do visto.

Deve permitir cobrir as despesas decorrentes de um eventual repatriamento por razões médicas, de assistência médica urgente e/ou de cuidados hospitalares urgentes e a sua cobertura deve ser, no mínimo, de 30.000 euros.